UOL Esporte - Copa 2006UOL Esporte - Copa 2006
UOL BUSCA

29/06/2006 - 12h02

Thuram rebate críticas racistas de político de direita francês

Das agências internacionais
Em Hamelin (Alemanha)

EFE

EFE

Thuram respondeu com dureza ao político de direita Le Pen

Às vésperas da partida contra o Brasil pelas quartas-de-final, a seleção francesa embarcou na volta de uma polêmica com o líder ultradireitista Jean-Marie Le Pen. O político de visões intolerantes voltou a questionar a presença de negros e descendentes de imigrantes do norte da África. Incomodado, o zagueiro Thuram se pronunciou contra Le Pen nesta quinta-feira.

"Fico muito surpreso de ver que esse senhor, que insiste em se candidatar a presidente, não conhece a história de nosso país. Talvez o senhor Le Pen não tenha sido avisado de que alguns franceses são negros, outros têm cabelo loiro ou castanho. Um norte-americano não se surpreende com jogadores negros em sua seleção de basquete", afirmou Thuram, negro que nasceu na ilha caribenha de Guadalupe, atualmente um departamento ultramarino do governo da França.

Le Pen, líder da Frente Nacional, já criticara a presença de negros em 1998, quando a França sediou e venceu a Copa.

Um norte-americano não se surpreende com jogadores negros em sua seleção de basquete

Thuram
O político voltou à carga nesta semana, alegando que o povo francês não se identifica muito com a seleção porque não se veria representada nela em razão da grande presença de negros como Thuram, Abidal e Henry.

"Nossa torcida nos apóia e nos ama sem se perguntar se somos negros ou não porque sabe que somos franceses", rebateu Thuram. "Diga ao senhor Le Pen que temos orgulho de ser franceses e que amamos a França. A França de verdade".

Outro alvo das críticas de nacionalismo intolerante de Le Pen foi o goleiro Barthez. O político exige sua saída do time porque Barthez não canta o hino nacional nos jogos.

Thuram tomou as dores do goleiro: "Alguns cantam o hino, outros não. Mas isso nada tem a ver quanto a você se sentir ou não francês".

O técnico Raymond Domenech também não gostou das declarações de Le Pen. Para o treinador, o líder político "tem de parar" de criticar a seleção, porque todos os jogadores estão "orgulhosos em vestir as cores da França".

Domenech afirmou que as críticas de Le Pen são injustificáveis. "Provavelmente, somos uma das equipes que tem mais jogadores que cantam o hino. Ele precisa parar de falar essas coisas. Espanhóis e argentinos também não cantam. Os jogadores estão orgulhosos de vestir as cores da França", disse.

*Atualizada às 13h37

SELEÇÕES