UOL Esporte - Copa 2006UOL Esporte - Copa 2006
UOL BUSCA

01/07/2006 - 18h32

Roberto Carlos ajeita meia na hora do gol, e Pelé 'cutuca'

Daniel Tozzi e João Henrique Medice
Enviados especiais do UOL Esporte
Em Frankfurt (Alemanha)
Um detalhe quase passou despercebido no momento em que Thierry Henry apareceu sozinho pelo lado direita da área brasileira para fuzilar o gol de Dida, aos 12min do segundo tempo da partida em que a França despachou o Brasil da Copa do Mundo da Alemanha. Um dos responsáveis pela marcação do atacante, o lateral Roberto Carlos não seguiu seu adversário porque ajeitava a sua meia.

Reuters

Crédito

Falha do lateral no gol da França já gerou provocação de Pelé

Agachado, Roberto Carlos apenas viu cinco franceses levando vantagem sobre outros três brasileiros. Henry surgiu pelo bico da pequena área sem ser perturbado e apenas escorou por cima do goleiro Dida.

Um dos porta-vozes do atual elenco da seleção brasileira, Roberto Carlos se destacou na campanha da equipe na Alemanha como uma espécie de crítico oficial de Pelé, tricampeão do mundo com o Brasil que deu declarações que questionavam o poderio da equipe dirigida por Carlos Alberto Parreira. O lateral chegou a pedir que o ex-jogador ficasse "quietinho".

Pelé, porém, não esperou nem 15 minutos após o fim da partida em Frankfurt para, discretamente, criticar Roberto Carlos e outros jogadores da seleção, sem citar os nomes. "Esses erros não podem ser cometidos. Não sei o que os jogadores tinham na cabeça. O jogo era muito importante para que houvesse três jogadores sem fazer nada",

O erro do lateral-esquerdo não foi o primeiro durante a edição de 2006 do Mundial. Logo na estréia da seleção brasileira, Roberto Carlos chegou a ameaçar a vitória do Brasil contra a Croácia ao tentar um passe, aos 14min do segundo tempo, que foi parar nos pés do atacante adversário, desarmado providencialmente pelo zagueiro Lúcio.

Integrante do elenco pentacampeão em 2002, Roberto Carlos volta a ser alvo de críticas, assim como aconteceu em 1998, quando falhou no jogo contra a Dinamarca, quando caiu de costas ao tentar uma bicicleta e ver de perto o gol de Laudrup que chegou a ameaçar a classificação da equipe às semifinais.

Já na partida decisiva, contra a mesma França deste sábado, Roberto Carlos cedeu o empate que gerou um dos gols de Zidane, que cabeceou enquanto o lateral estava protegendo o poste direito do então goleiro Taffarel.


SELEÇÕES